Tradutor, selecione o idioma:

domingo, 28 de junho de 2015

Deus é a nossa necessidade mais profunda

por Gary Henry

"Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná; que tu não conhecias, nem teus pais conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverás o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor viverá o homem." - Deuteronômio 8:3


A vida neste mundo caído enfrenta-nos com um desafio duplo. A dificuldade é, primeiramente, ver que Deus é a nossa necessidade mais profunda e, em seguida, buscá-lo com a devida diligência. 

O primeiro é um problema de conhecimento - temos de compreender o quanto Deus é importante para nós. 

O segundo é um problema de motivação - nossa vontade deve escolher diligentemente buscar a Deus. Tanto a nossa compreensão quanto a nossa vontade, sem falar de nossas emoções, devem aprender a levar Deus tão a sério quanto ele merece.

Se não vemos Deus como aquilo de que mais profundamente necessitamos, não lhe buscaremos seriamente. Mas mesmo quando percebemos o tamanho de nossa necessidade por Deus, muitas vezes não o procuramos tão fervorosamente quanto deveríamos. Falhamos em lidar seriamente com o assunto mais importante da vida. "Por que isto é assim?" É uma pergunta com a qual deveríamos nos preocupar diariamente.

Enxergar a realidade de nossa necessidade e então buscar a Deus requerem esforço em cada momento. A decisão de buscar a Deus com todo o nosso coração não pode ser tomada de uma vez por todas e então esquecida. Em cada momento único de escolha devemos exercer nossa vontade mais uma vez, decidindo vez após vez manter a integridade daquilo que sabemos ser importante. "A principal coisa é manter a coisa principal a coisa principal." Assim é o nosso desafio contínuo pelo resto da vida.

Não enxergar a nossa necessidade verdadeira e não buscar a Deus são falhas que têm conseqüências desastrosas, mesmo no presente momento. O coração humano geme, desejando ser preenchido, e se não buscarmos a Deus como o objeto de desejo de nossos corações, tentaremos matar a nossa sede de outras maneiras, correndo atrás de satisfações substitutas até que tenhamos nos estragado por inteiro.

Para devotar os nossos corações a desejos fora de Deus não é só desperdiçar anos de nossas vidas em vaidade, é negar a nós mesmos a alegria profunda para a qual fomos criados. O que poderia ser mais trágico do que perder a satisfação triunfante pelo nosso desejo mais profundo simplesmente porque não enxergamos a nossa necessidade e não buscamos o nosso Deus?

Os filhos de Israel não encontraram no maná toda a doçura e a força que poderiam ter encontrado; não porque o maná não os continha, mas porque desejavam outra carne.  (João da Cruz) 



sexta-feira, 26 de junho de 2015

O convite é "Vinde a Mim"

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e meu fardo é leve."   Mateus 11:28-30



                                        _______ por Warren Berkley _______

Durante centenas de anos e para milhões de pessoas estas palavras têm sido uma bênção. Não há uma palavra ou sentença aqui que não contenha um tesouro de pensamento para qualquer um que queira ouvir e aprender.

O convite feito aqui é captado por três palavras: "Vinde a mim"

Quando ouvimos o evangelho, quando lemos a Bíblia e estudamos o Novo Testamento e aprendemos sobre o Salvador o que somos chamados a fazer não é apenas mudar de religião! É certamente verdadeiro, se temos estado envolvidos em erro religioso, precisamos arrepender disso e seguir os ensinamentos dos apóstolos de Cristo. Mas isso pode ser apenas parte do que precisamos fazer. Não é exigida apenas uma mudança para a conversão. É uma decisão especial de deixar o pecado, confiar em Cristo e começar a segui-lo.

O convite é Vinde a mim, e isto significa que uma decisão deve ser feita de deixar o pecado, afastar-se do erro e vir a Jesus Cristo. E não se pode ler sobre Jesus com um coração honesto sem ser motivado para vir a ele. Ora, pode-se ler sobre ele meramente por certos interesses acadêmicos, ou curiosidade intelectual. 

O conhecimento que se ganha deste tipo de estudo pode jamais resultar em qualquer conversão ou salvação. 

Mas, quando abrimos nossa mente -- quando nosso coração é bom -- quando sabemos que precisamos de alguma coisa melhor na vida e lemos sobre Cristo, somos motivados a mudar nossa direção, abandonar o pecado em nossa vida e vir a ele.

Ele diz: "Sou manso e humilde de coração." Como isso é verdade! E se tivermos lido sobre Jesus saberemos que isto é verdade.

Lemos sobre ele na casa de Maria e Marta, em Betânia, consideramos sua atitude para com Pedro, antes e depois da queda de Pedro. Na história de sua vida e sua obra experimentamos a brandura e mansidão de Cristo. Jamais esqueça disso.


http://belverede.blogspot.com.br/2015/06/o-convite-vinde-mim-mateus-11-28-Warren-Berkley-Arlete-Oliveira.html
 



domingo, 14 de junho de 2015

JESUS oferece livramento naturalmente! compartilhe!

Pessoas aliviadas pelo livramento que Jesus oferece naturalmente, levam as boas novas aos outros. Se é bom para você, é bom para os outros também! (Dennis Allan)


sexta-feira, 12 de junho de 2015

Namorados, que Deus dê sabedoria e discernimento

Provérbios 5:18 - Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade.

Eu fui um jovem cristão e como a maioria, fui bombardeado por toda sorte de superstição que existe nessa complicada área dos relacionamentos. Ouvi de algumas pessoas que Deus tinha que me mostrar minha futura esposa; de outros, ouvi precisava orar pedindo confirmação. Ainda de outros, ouvi que Deus colocaria a pessoa certa em meus caminhos. O tempo passou e percebi que algumas dessas concepções eram mais superstição do que fatos concretos.

Primeiro, Deus não irá mostrar seu futuro cônjuge (se Ele fez isso com você, pode ser um fato isolado, não uma regra aplicável a todos os cristãos). É você quem vai se interessar por uma pessoa com quem deseja iniciar um relacionamento. Segundo, orar pedindo confirmação de Deus pode ser uma faca de dois gumes, pois quando estamos obstinados por algo, corremos o risco de “forçar” uma interpretação isolada como resposta de Deus. Terceiro, conheço muitas pessoas esperando Deus colocar alguém em seu caminho. Essa espera dura décadas, e até agora “Deus não colocou ninguém”. Estranho não é mesmo?

Que Deus nos dê sabedoria e discernimento, para escolhermos alguém que partilhe da mesma fé e visão e, principalmente, que tenha desejo de construir uma linda história conosco.

                                                    Pastor Sérgio Fernandes
           
               Feliz dia dos namorados, todos os dias!



quarta-feira, 10 de junho de 2015

Onde estivermos, podemos servir o Senhor

Deus permite que os cristãos passem por circunstâncias frustrantes. Quando Paulo escreveu Filipenses 4:11-12 ele estava na prisão, e tinha estado por muitos anos. Mas ouça o que ele disse: "Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez"

A prisão deve ter sido terrivelmente frustrante para um homem que passou sua vida viajando para visitar os irmãos e para desbravar novos territórios para o evangelho. Não obstante, ele declarava que sua prisão tinha feito o evangelho progredir ainda mais (veja Filipenses 1:12-20 para pormenores). Onde estivermos, podemos servir o Senhor. Precisamos nunca usar nosso ambiente como desculpa para o pecado.

A mais baixa classe social do Império Romano era a dos escravos. É difícil para nós que conhecemos somente uma vida de liberdade imaginar como seria degradante existir como propriedade pessoal de alguém. Contudo, Paulo escreveu: "Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade" (1 Coríntios 7:21).

Não é que devemos evitar tirar vantagem de oportunidades para melhorar nossas circunstâncias, mas sim que, quando isto não pode ser feito, não devemos nos afligir por isso. Afinal, o Senhor precisa de bons escravos cristãos. Lembrar o domínio soberano do Senhor deve ajudar-nos a descansar nele e deixar de atormentar-nos pelas limitações causadas por nossas circunstâncias (veja Romanos 8:28).

por Gary Fisher

(foto da internet)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...