Tradutor, selecione o idioma:

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Jesus é o nosso Parente Redentor. Ele veio para comprar de volta um mundo que estava perdido por causa do pecado no Jardim do Éden (Gn 3.1-7)


Como seres humanos, nunca conseguiremos entender plenamente o que custou para Deus tomar a forma de homem e Se humilhar para Se tornar um de nós, a fim de ser nosso Parente Redentor.

Jesus, o Messias, tinha todos os atributos de Deus: onipresença (Mt 18.20; Mt 28.20), onipotência (Mt 28.18), onisciência (Jo 16.30; Jo 18.4; Jo 21.17), e mais:

“Antes a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz” (Fp 2.7-8).

O termo “servo” é a palavra grega doulous. A idéia é a de se tornar como um escravo devotado a alguém, não levando em conta seus próprios interesses. O Criador eterno, autoexistente, do Universo, voluntariamente, tornou-Se homem, e não apenas um homem, mas um servo, um escravo. Ele tomou a decisão de nascer como ser humano, de enfrentar rejeição e humilhação, e de ser crucificado – tudo isso para pagar o preço da nossa remissão e da nossa libertação das mãos do inimigo.

É disso que trata a encarnação. E, se isso não for amor, não sei o que é.

trecho do texto de: Thomas C. Simcox

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

“Deus me enviou” Jesus tinha plena consciência de seu envio.


Desde o século 8, o ano do envio de Jesus passou a ser considerado oficialmente o meio da história. Temos os anos “antes de Cristo” (a.C.) e os anos “depois de Cristo” (d.C.). Os anos posteriores à vinda de Jesus são também chamados de “Anno Domini” (ano do Senhor Jesus) ou “Anno Salutis” (ano da salvação). Alguns cartórios ainda registram: “Saibam quantos esta pública escritura virem que no ano do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo[...]”.

“Deus me enviou”
Jesus tinha plena consciência de seu envio. A frase mais repetida por ele no Evangelho de João é “Deus me enviou”. Em quinze dos 21 capítulos do quarto Evangelho, ela aparece 35 vezes. A expressão “Deus enviou o seu Filho” ocorre três vezes na primeira carta de João (4.9-10, 14).

O Senhor inicia o seu ministério com a idade de 30 anos, na sinagoga de Nazaré. Na ocasião, ele faz referência ao seu envio, lendo a profecia de Isaías, escrita setecentos anos antes: “O Senhor me deu o seu Espírito. Ele me ‘escolheu’ para levar boas notícias aos pobres e me ‘enviou’ para anunciar a liberdade aos presos, dar vista aos cegos, libertar os que estão sendo oprimidos e anunciar que chegou o tempo [o tal “tempo certo”] em que o Senhor salvará o seu povo” (Lc 4.18-19).

Talvez os ouvintes não tenham entendido, mas na parábola dos lavradores maus, que aparece nos Evangelhos Sinóticos, Jesus faz um resumo histórico de todos os envios anteriores ao dele, sem deixar de mencionar o envio do filho único e amado do dono da vinha. O que Jesus queria transmitir é que ele, o unigênito do Pai (Jo 3.16) e o amado do Pai (Mt 3.17; 17.5), seria enviado por último, depois de todos os profetas (Lc 20.9-18).

de: ultimato/revista/artigos/354 (parte do texto)

domingo, 13 de dezembro de 2015

Jesus, deixou bem clara a Sua mensagem: Se alguém ouvir...

A Bíblia é o espelho absoluto, que revela cruamente quem somos. Para a Bíblia, não há meio termo: “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23).


Quando, com toda a honestidade, lemos a Bíblia e levamos a sério sua mensagem, o que vemos é nosso rosto espiritual desfigurado. Por isso, não é coisa rara quando pessoas se afastam da mensagem bíblica. A tragédia reside no fato de, ao invés de abandonar o pecado, as pessoas abandonaram a Bíblia.

Jesus, deixou bem clara a Sua mensagem: “Se alguém ouvir a Minha mensagem e não a praticar, Eu não o julgo. Pois eu vim para salvar o mundo e não para julgá-lo” (João 12:47).

(trecho do texto do Pr. Olavo Feijó)

#BíbliaSagradaeseuslivros

domingo, 22 de novembro de 2015

A Maior Alegria: ENCONTRAR JESUS!

Quem encontra Jesus é alguém que andou errante e finalmente achou o caminho de volta ao lar. E isso é motivo de intensa alegria, da maior alegria! 
Norbert Lieth


terça-feira, 17 de novembro de 2015

Quem tem JESUS tem a Vida!


Na nossa sociedade pluralista, a mensagem da cruz se torna cada vez menos aceitável. Para muitos, a fé exclusiva em Jesus não é politicamente correta. O ecumenismo domina o pensamento de um povo que tolera tudo, menos a verdade! Mas a Bíblia não deixa margem neste ponto: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 João 5:12).
                                                          (Dennis Allan)

terça-feira, 10 de novembro de 2015

A luz no fim do túnel: JESUS VOLTARÁ!

                                                

O afastamento de Deus e o distanciamento das verdades bíblicas é tão evidente e cada vez mais atrevido que fica difícil achar uma situação que se compare a ela. Alguém observou: "As pessoas de hoje sabem tão pouco das verdades bíblicas que vivem suas vidas como se Deus não existisse" (comp. 2 Ts 2.3; 2 Tm 3.1ss).

Na área do ocultismo, o diabo está solto: nos meios de comunicação, no cinema e na televisão as pessoas são literalmente afundadas no esoterismo e soterradas por filmes de ficção científica. Alexander Soljenitzyn observou: "Os poderes do mal iniciaram sua ofensiva decisiva" (comp. 2 Ts 2.9; 1 Tm 4.1).

Ultimamente também o mundo secular (desligado de Deus) tem chegado sempre mais à convicção de que nos aproximamos do fim do mundo. Parece que os sinais dos tempos prenunciam a chegada da noite, e o nosso mundo vê mais "o túnel no fim da luz" do que o inverso.

Mas os filhos de Deus não têm motivos para ficar resignados. Ao contrário. Para eles, pela fé, aparece a luz no fim do túnel: Jesus voltará. Lemos em 2 Tessalonicenses 1.10: "quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquanto foi crido entre vós o nosso testemunho)."

Até que chegue esse momento, devemos remir o tempo e cumprir nossa tarefa  para que mais pessoas sejam ganhas para o Senhor Jesus e para que Sua Igreja seja preparada para quando Ele voltar.

Acima de tudo, temos a Palavra Profética, para a qual devemos atentar como uma luz que brilha em lugar tenebroso (2 Pe 1.19)

__________ por Norbert Lieth

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Anunciemos esta poderosa libertação que Jesus nos deu


Colossenses 2:10 - E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade;

O cristão é uma pessoa livre. Por causa do evangelho, somos livres das mentiras deste mundo, das ilusões, do engano religioso, de toda superstição e de tudo aquilo que pode aprisionar a mente. E por causa da morte de Jesus na cruz do Calvário, podemos experimentar libertação espiritual de toda opressão e força demoníaca,

Você é livre meu irmão!

Contra a sua vida não vale encantamento! Aquele que é nascido de novo, Deus o guarda e o maligno não lhe toca! Você pode viver seus dias em paz e seguro na fé em Jesus Cristo, pois por Ele, você é livre do poder das trevas, e pode viver com alegria na luz do Senhor!

Anunciemos esta poderosa libertação que Jesus nos deu, por causa da salvação que Ele conquistou para nós na cruz da Calvário!

autor: Pastor Sérgio Fernandes

sábado, 31 de outubro de 2015

Jesus Cristo: o mundo nunca viu alguém maior e mais perfeito!


Agarre o melhor!

Não devemos dizer às pessoas aquilo que elas querem ouvir, mas a verdade. Se alguém, em sua falsa tolerância, quiser comer um prato de cogumelos venenosos, que fique à vontade; mas também terá de viver (ou, neste caso, não viver) com as conseqüências.

Jesus Cristo: o mundo nunca viu alguém maior e mais perfeito! 
Maior do que tudo que o judaísmo já conheceu. 
Maior do que Moisés, Arão, Davi, Salomão (Mt 12.42) ou Jonas (Mt 12.41). 

A Carta aos Hebreus diz aos judeus: “Não confiem em Moisés, não confiem em Arão nem nos outros sacerdotes; não confiem em Davi nem nos outros reis!” Hoje diríamos: “Não confiem em seus rabinos, não confiem em seus estadistas e também não confiem no seu poderio militar! Não confiem nos sacrifícios, no sacerdócio nem na lei, mas agarrem o melhor, o maior, isto é, a graça em Cristo Jesus”.

Brademos a todas as pessoas: “Não confie em você mesmo, não confie na sua habilidade nem na sua força, não confie em pessoas, nem em Maria ou algum protetor ou santo, nem no seu pastor ou bispo, nem na sua instituição ou organização. Não confie na política, na economia ou na ciência. Não confie em seu guru nem em sua religião. Não! Olhe antes para a cruz, pois: Jesus é maior!”

“...de glória e de honra o coroaste e o constituíste sobre as obras das tuas mãos. Todas as coisas sujeitaste debaixo dos seus pés. Ora, desde que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou fora do seu domínio...” (Hb 2.7-8).

• Em Jesus temos uma esperança melhor (Hb 7.19).

• Por meio de Jesus possuímos uma aliança melhor e, com ela, melhores promessas (Hb 7.22; Hb 8.6).

• Temos um sacrifício melhor; na verdade, um sacrifício perfeito, não de animais, mas do Cordeiro vicário Jesus Cristo, que se deu voluntariamente e de uma vez por todas em nosso lugar (Hb 9.23-28).

• Temos um patrimônio superior (Hb 10.34).

• E, por fim: temos uma ressurreição melhor; nada de voltar para um corpo mortal, como ensina o hinduísmo, mas uma ressurreição com um corpo glorificado espiritual e imortal (Fp 3.20-21; 1 Jo 3.2-3).

Vamos resumir: Jesus é maior! É justamente esse fato que a Bíblia, a infalível e viva Palavra de Deus, pretende nos apresentar. É justamente o que o autor da Carta aos Hebreus – inspirado por Deus – apresentou aos judeus, a fim de encorajá-los e exortá-los a permanecerem firmes nessa Palavra.

É tolo quem desiste e abandona o Melhor, Maior e Perfeito. Consideremos o que diz Provérbios 3.5-7: “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal!”.

O que permanece é a constatação: Jesus é maior! 

autor: Thomas Lieth/Chamada

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Sem Esperança? Não espere mais, aceite a Jesus Cristo e desfrute da Sua paz!


Cada vez que acompanhamos um noticiário, temos a impressão de que a humanidade está trilhando por um caminho sem esperança e que toma rumos equivocados. Fala-se constantemente em paz, mais do que em qualquer outra época, investe-se em tempo e recursos levando milhares de pessoas para as marchas da paz, além de entregar “Prêmios Nobel da Paz” sem, no entanto, alcançar esse objetivo tão esperado: Paz!

Isso nos lembra do versículo da Bíblia, que diz: “Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão” (1Tessalonicenses 5.3).

De fato, hoje já temos inúmeros acordos de paz assinados, porém, fica a indagação: “Isso mudou alguma coisa?” As organizações internacionais, como a OEA, a ONU, a OTAN, a UNASUL, entre outras, promovem a paz e a segurança, porém, conseguem alcançar pouco, ou nada, com os seus discursos. Mesmo entre essas organizações há rivalidade e controvérsias.

Pelo fato de ter perdido a paz com Deus, o homem se vê obrigado a estar em constante guerra,

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Permita que Jesus fique diante de você!

Já faz tempo desde a última vez que você compreendeu a divindade de Deus e a sua carnalidade? Ele ainda está lá. Ele não foi embora. Faça um favor a si mesmo. Fique diante Dele novamente. Ou melhor, permita que Ele fique diante de você.

Um homem nunca mais é o mesmo depois de ver simultaneamente o seu desespero e a graça de Jesus. Ver o desespero sem a graça é destrutivo. Ver a graça sem o desespero é futilidade. Mas ver ambos é conversão! 

Max Lucado

Jesus Cristo, “Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9.6).


Yahweh afirma repetidas vezes que Ele é o único Deus verdadeiro: “Há outro Deus além de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça” (Is 44.6,8). 

Ele também declarou: “fora de mim não há salvador” (Is 43.11; Os 13.4).

Isaías profetizou que o Messias prometido, que viria para pagar a penalidade pelo pecado conforme exigia Sua própria justiça, seria “Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9.6). 

Por isso, Jesus declarou “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30). Ele alertou que todos que negarem que Ele é Yahweh, o Salvador, perecerão e ficarão eternamente afastados dEle e do céu:

“...se não crerdes que Eu Sou,* morrereis nos vossos pecados” (Jo 8.24), mas também prometeu: “Se alguém guardar a minha palavra, não provará a morte, eternamente” (Jo 8.52b). 

Precisamos fazer com que essa mensagem do Evangelho fique clara para todos. 

(Dave Hunt - TBC 1/02)
de sua mensagem "O Único Deus"

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

As dores de Jesus durante a sua paixão, relatado por um grande estudioso francês, o médico Dr. Barbet


Relato aqui a descrição das dores de Jesus feita por um grande estudioso francês, o médico Dr. Barbet dando a possibilidade de compreender realmente as dores de Jesus durante a sua paixão.

"Eu sou um cirurgião, e dou aulas há algum tempo. Por treze anos vivi em companhia de cadáveres e durante a minha carreira estudei a fundo anatomia. Posso portanto escrever sem presunção."

Jesus entrou em agonia no Getsemani - escreve o evangelista Lucas - orava mais intensamente. "E seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra". O único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas . E o faz com a precisão dum clínico.

domingo, 4 de outubro de 2015

NOMES do SENHOR - Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz

Se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz (Isaías 9:6).


NOMES DO SENHOR

Esses nomes do Senhor Jesus anunciados pelo profeta Isaías serão plenamente manifestos durante o Milênio. Contudo, o cristão não tem de aguardar por "aquele dia" para desfrutar e se apropriar das glórias que tais nomes sugerem. 

Maravilhoso - isso significa que ele desperta profunda admiração e perplexidade por causa de suas obras miraculosas na criação e por suas intervenções históricas a favor de Seu povo (Juízes 13:18).

Conselheiro - essa palavra passa a ideia de um "orientador" e foi usada sempre em referência àqueles que aconselhavam os reis. O Messias será investido com o "espírito de conselho" (Isaías 11:2). O reinado de Cristo será administrado de acordo com Sua absoluta sabedoria e conselho, e podemos olhar para ele hoje e receber direção e ajuda para enfrentar a complexidade da vida.

Deus Forte - (hebraico: El Gibbor) ? El é o mais antigo e essencial dos nomes hebraicos para Deus. Denota força, poder e supremacia. Gibbor significa poderoso ou herói, o "portentoso". O Senhor Jesus é o El manifesto na carne (1 Timóteo 3:16). Este Poderoso não apenas é capaz de salvar, mas também capaz de guardar.

Pai da Eternidade - Cristo é a Fonte e o Mantenedor das eras. Esse nome descreve Seu relacionamento com o tempo, e não Seu relacionamento na Divindade. Ele é a própria Vida Eterna para os que creem.

Príncipe da Paz - ele irá acabar com todas as guerras e desmantelar o "complexo industrial militar". Armas de guerra se tornarão implementos agrícolas, as pessoas "nem aprenderão mais a guerrear" (Isaías 2:4). Nós também podemos dizer que ele é "nossa paz", tendo "feito a paz", e por isso temos "paz em fé" (Efésios 2:14; Colossenses 1:20; Romanos 15:13).


fonte: apaz.com.br/todo_dia/2015/junho28.html

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Jesus é a pedra sobre a qual se constrói a fé e a conduta do crente

Começamos o ano [em 2010]com os trágicos desabamentos em Angra dos Reis e o segundo trimestre com os trágicos desabamentos no Rio de Janeiro e em Niterói. O que aconteceu com as casas construídas sobre toneladas de lixo, no morro do Bumba, em Niterói, nos leva ao final daquele longo sermão que Jesus proferiu do alto do monte Chifres de Hatim, entre o mar da Galileia e a cidade de Cafarnaum. Nessa ocasião, Jesus faz referência a dois tremendos desabamentos.

O primeiro envolve a destruição de um imóvel construído imprudentemente sem apoio algum. Trocando a palavra “terra” por “lixão”, o texto relata exatamente o que aconteceu em Niterói: “[Certo] homem construiu uma casa no “lixão”, sem alicerce. Quando a água bateu contra aquela casa, ela caiu logo e ficou totalmente destruída” (Lc 6.49, NTLH).


O segundo envolve a repentina destruição de um projeto de fé e esperança construído sem o alicerce necessário. Jesus é a pedra sobre a qual se constrói a fé e a conduta do crente. Sem esse fundamento, mais cedo ou mais tarde, a casa desaba. Se alguém construir o seu edifício religioso sobre a pedra e não sobre a areia, a terra ou o lixão, mesmo que a água bata contra essa casa, ela não se abalará nem desmoronará (Lc 6.46-49).

Se é difícil convencer um morador a não construir sua casa sobre um lugar de risco, quanto mais convencer um pecador a construir sua fé e sua conduta sobre a pessoa e o ensino de Jesus Cristo! A possibilidade de acreditar no desmoronamento de uma casa construída no lixão é difícil; a possibilidade de acreditar no desmoronamento de uma esperança é muito mais.

É assim que Jesus termina o Sermão do Monte!

autor: Elben César
#JesusCristoRenovouMinhaVida

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Adquira a Entrada no Céu; Fale com Deus sinceramente.


Entrar no Céu é um presente – não é merecimento nem se obtém por boas obras
Jesus Cristo é o único Ser humano sem pecado – porque Ele mesmo é Deus – e venceu a morte (apesar das religiões que O mostram preso à cruz, impotente) e ressuscitou novamente. Ele hoje está vivo e pode salvá-lo se você O convidar para ser seu Redentor.

A Bíblia diz que a salvação é um dom (presente) de Deus: “não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:9). No Céu, ninguém poderá se orgulhar de ter chegado lá por seus próprios méritos, senão pela obra perfeita de Cristo. Agora, Deus aguarda a sua resposta para esta mensagem do maior amor. 
Se você, nesse instante, quiser receber o perdão pelos seus pecados, o dom gratuito da entrada no Céu, então faça uma oração aceitando a Cristo como o seu Deus e Salvador. Fale com Deus sinceramente, usando a oração seguinte como exemplo: “Senhor Deus! Reconheço que estou perdido em meu pecado, porém, agora creio em Cristo. Peço que perdoes os meus pecados. Salva-me agora. Amém!”

trecho de: .ajesus.com.br/mensagens/a_maior_necessidade



quinta-feira, 23 de julho de 2015

Momento Versículos: CONFIE, O Senhor sempre faz o que é bom! (João 16....

Momento Versículos: CONFIE, O Senhor sempre faz o que é bom! (João 16....

O serviço cristão - Tudo é apreciado e lembrado por Aquele que jamais erra.

Romanos 16:1-16
O capítulo 12 ensina como devem ser a consagração e o serviço cristão. O capítulo 16 mostra a prática por parte dos crentes de Roma, aos quais o apóstolo dirige suas saudações. 

Alguém escreveu: "Temos aqui uma página típica do livro da eternidade. Não há sequer um só ato de serviço que façamos para o Senhor, que não seja colocado em Seu livro, e não somente a substância do ato, mas também a maneira pelo qual ele é praticado". É por isso que, no versículo 12, Trifena, Trifosa e a "estimada" Pérside não estão juntas, pois as duas primeiras "trabalharam no Senhor", enquanto a última "muito trabalhou no Senhor" e seus serviços não foram confundidos. Tudo é apreciado e lembrado por Aquele que jamais erra.

Paulo, por sua vez, não esquece o que fizeram por ele (vv. 2 e 4). Encontramos novamente aqui seus "companheiros de obra" Priscila e Áquila (Atos 18). A igreja se reunia simplesmente em sua casa (que contraste com as ricas basílicas construídas desde então em Roma!).

As saudações em Cristo servem para estreitar os laços da comunhão cristã. Não devemos jamais negligenciar aqueles que nos foram confiados.

do livro: "Conheça Jesus - Único, Incomparável, Maravilhoso"
Norbert Lieth


Devocional Dádivas do Senhor: JESUS é a garantia que "o nosso barco" não vai afu...

Devocional Dádivas do Senhor: JESUS é a garantia que "o nosso barco" não vai afu...: E Jesus estava na popa, dormindo sobre o travesseiro; eles o despertam e lhe dizem: Mestre, não te importa que pereçamos!" Marcos 4.3...

domingo, 19 de julho de 2015

A unicidade de Jesus - é o único a fazer o que fez


“Se eu não tivesse realizado obras que ninguém mais fez, [aqueles que me viram ou ouviram] não seriam considerados culpados. Mas agora, eles as viram, e mesmo assim odeiam a mim e ao meu Pai” (Jo 15.24). Na noite em que foi traído e instituiu a Santa Ceia, em uma reunião reservada, em certo cenáculo de Jerusalém, Jesus se abriu com os discípulos:

Ele é o único a fazer o que fez. Além dele, quem mais...

- andou sobre o mar?
- com uma só ordem fez parar o vento, os relâmpagos, os trovões e a tempestade do mar?
- com uma só palavra fez secar uma figueira?
- transformou 600 litros de água em vinho da melhor qualidade?
- multiplicou cinco pães e dois peixes para satisfazer mais de 5 mil estômagos e ainda fez sobrar doze cestos?
- cura toda sorte de doenças, desde uma simples febre até um paralítico de nascença?
- é capaz de reimplantar, fora de um centro cirúrgico, uma orelha decepada?
- consegue parar um cortejo fúnebre e ordenar ao morto que saia do caixão?
- tem poder para fazer viver outra vez um morto já sepultado e em estado de putrefação?
- no tempo e no espaço torna a viver, por seu próprio poder, e abandona o túmulo por conta própria?


Porém, a unicidade de Jesus vai além disso. Quem mais...
- amou como ele amou?
- falou com tanta autoridade como ele?
- perdoou como ele?
- sofreu como ele?
- se deu aos outros como ele?
- suportou desafios, escárnios e injustiça como ele?
- deu a vida como oferta pelo pecado como ele?
- é imutável como ele?
- derramou voluntariamente a alma na morte como ele?
- proferiu palavras tão duras sem pecar como ele?
- não se apegou aos seus direitos como ele?
- se esvaziou como ele?
- se humilhou sendo obediente até a morte e morte de cruz?


A unicidade de Jesus continua. Quem afinal é...
- o pão da vida?
- a luz do mundo?
- o bom pastor?
- a ressurreição e a vida?
- o caminho, a verdade e a vida?
- a videira verdadeira?
- o único mediador entre Deus e os homens?
- o nosso intercessor junto ao Pai em caso de pecado e culpa?
- a propiciação pelos nossos pecados?


São até aqui 32 interrogações a respeito da unicidade de Jesus. Outras poderiam ser formuladas. O que importa é que todas têm uma só resposta: Jesus Cristo!

fonte: Ultimato ed.335


segunda-feira, 6 de julho de 2015

A medida do dom de Cristo


Pr. Olavo Feijó 

Efésios 4:7 - Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo.

O cristianismo é apresentado por Paulo como um padrão consciente e voluntário de viver. Por isso, cristãos são ensinados a “viver em Cristo” e, não, a apenas repetir práticas “religiosas” que nada nos valorizam espiritualmente. “Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo (Efésios 4:7).

A revelação bíblica nos ensina que “desde antes da criação do mundo” o Senhor quis transformar simples criaturas humanas em “filhos de Deus”. Esta capacitação, diz o Evangelho de João é conferida a todos os humanos que aceitam Jesus como o Cristo, o Filho Único, através de quem o Criador vai chegar ao ponto definitivo da Sua obra, com o “novo céu e a nova terra”. Todo humano que exercita esta fé transforma-se em parte integrante do “corpo de Cristo”, já que “Cristo é tudo em todos”.

Pertencemos à família de Cristo. Somos membros do “corpo de Cristo”. Consequentemente, cada um de nós recebe, quando aceita a Cristo, uma função própria, um dom a ser desenvolvido.

Quando a Bíblia declara que “ninguém vive para si ou morre para si”, ela está reafirmando o significado orgânico de “viver em Cristo”. Ninguém é mais importante que ninguém. Ninguém é menos importante que ninguém. Em Cristo, somos todos dotados, todos valorizados, todos responsabilizados. É a medida do dom de Cristo.




quinta-feira, 2 de julho de 2015

Trabalhe para o Senhor e não se canse do trabalho.

por Harold Hancock
Trabalhe muito para o Senhor, 
visite os doentes (Mateus 25:36)
restaure os caídos (Gálatas 6:1)
apóie os fracos (1 Tessalonicenses 5:14), 
exorte os irmãos diariamente (Hebreus 3:13), 
ajude a instruir os jovens e os jovens na fé, ensine os perdidos, e se prepare para a vinda do Senhor (Mateus 24:44).


Se você cansar, descanse por um momento. Jesus disse aos seus apóstolos: “Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto” (Marcos 6:31). Mas não desista da obra do Senhor nem se aposente da sua obra. Não “enferruje” enquanto descansa.

Como Jesus, nós também devemos trabalhar “enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar” (João 9:4).

Temos de ser “firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor” e sabermos que nosso “trabalho, no Senhor, não é vão” (1 Coríntios 15:58).

João ouviu uma voz do céu que disse: “Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham” (Apocalipse 14:13).

Trabalhe para o Senhor e não se canse do trabalho.





domingo, 28 de junho de 2015

Deus é a nossa necessidade mais profunda

por Gary Henry

"Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná; que tu não conhecias, nem teus pais conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverás o homem, mas de tudo o que procede da boca do Senhor viverá o homem." - Deuteronômio 8:3


A vida neste mundo caído enfrenta-nos com um desafio duplo. A dificuldade é, primeiramente, ver que Deus é a nossa necessidade mais profunda e, em seguida, buscá-lo com a devida diligência. 

O primeiro é um problema de conhecimento - temos de compreender o quanto Deus é importante para nós. 

O segundo é um problema de motivação - nossa vontade deve escolher diligentemente buscar a Deus. Tanto a nossa compreensão quanto a nossa vontade, sem falar de nossas emoções, devem aprender a levar Deus tão a sério quanto ele merece.

Se não vemos Deus como aquilo de que mais profundamente necessitamos, não lhe buscaremos seriamente. Mas mesmo quando percebemos o tamanho de nossa necessidade por Deus, muitas vezes não o procuramos tão fervorosamente quanto deveríamos. Falhamos em lidar seriamente com o assunto mais importante da vida. "Por que isto é assim?" É uma pergunta com a qual deveríamos nos preocupar diariamente.

Enxergar a realidade de nossa necessidade e então buscar a Deus requerem esforço em cada momento. A decisão de buscar a Deus com todo o nosso coração não pode ser tomada de uma vez por todas e então esquecida. Em cada momento único de escolha devemos exercer nossa vontade mais uma vez, decidindo vez após vez manter a integridade daquilo que sabemos ser importante. "A principal coisa é manter a coisa principal a coisa principal." Assim é o nosso desafio contínuo pelo resto da vida.

Não enxergar a nossa necessidade verdadeira e não buscar a Deus são falhas que têm conseqüências desastrosas, mesmo no presente momento. O coração humano geme, desejando ser preenchido, e se não buscarmos a Deus como o objeto de desejo de nossos corações, tentaremos matar a nossa sede de outras maneiras, correndo atrás de satisfações substitutas até que tenhamos nos estragado por inteiro.

Para devotar os nossos corações a desejos fora de Deus não é só desperdiçar anos de nossas vidas em vaidade, é negar a nós mesmos a alegria profunda para a qual fomos criados. O que poderia ser mais trágico do que perder a satisfação triunfante pelo nosso desejo mais profundo simplesmente porque não enxergamos a nossa necessidade e não buscamos o nosso Deus?

Os filhos de Israel não encontraram no maná toda a doçura e a força que poderiam ter encontrado; não porque o maná não os continha, mas porque desejavam outra carne.  (João da Cruz) 



sexta-feira, 26 de junho de 2015

O convite é "Vinde a Mim"

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e meu fardo é leve."   Mateus 11:28-30



                                        _______ por Warren Berkley _______

Durante centenas de anos e para milhões de pessoas estas palavras têm sido uma bênção. Não há uma palavra ou sentença aqui que não contenha um tesouro de pensamento para qualquer um que queira ouvir e aprender.

O convite feito aqui é captado por três palavras: "Vinde a mim"

Quando ouvimos o evangelho, quando lemos a Bíblia e estudamos o Novo Testamento e aprendemos sobre o Salvador o que somos chamados a fazer não é apenas mudar de religião! É certamente verdadeiro, se temos estado envolvidos em erro religioso, precisamos arrepender disso e seguir os ensinamentos dos apóstolos de Cristo. Mas isso pode ser apenas parte do que precisamos fazer. Não é exigida apenas uma mudança para a conversão. É uma decisão especial de deixar o pecado, confiar em Cristo e começar a segui-lo.

O convite é Vinde a mim, e isto significa que uma decisão deve ser feita de deixar o pecado, afastar-se do erro e vir a Jesus Cristo. E não se pode ler sobre Jesus com um coração honesto sem ser motivado para vir a ele. Ora, pode-se ler sobre ele meramente por certos interesses acadêmicos, ou curiosidade intelectual. 

O conhecimento que se ganha deste tipo de estudo pode jamais resultar em qualquer conversão ou salvação. 

Mas, quando abrimos nossa mente -- quando nosso coração é bom -- quando sabemos que precisamos de alguma coisa melhor na vida e lemos sobre Cristo, somos motivados a mudar nossa direção, abandonar o pecado em nossa vida e vir a ele.

Ele diz: "Sou manso e humilde de coração." Como isso é verdade! E se tivermos lido sobre Jesus saberemos que isto é verdade.

Lemos sobre ele na casa de Maria e Marta, em Betânia, consideramos sua atitude para com Pedro, antes e depois da queda de Pedro. Na história de sua vida e sua obra experimentamos a brandura e mansidão de Cristo. Jamais esqueça disso.


http://belverede.blogspot.com.br/2015/06/o-convite-vinde-mim-mateus-11-28-Warren-Berkley-Arlete-Oliveira.html
 



domingo, 14 de junho de 2015

JESUS oferece livramento naturalmente! compartilhe!

Pessoas aliviadas pelo livramento que Jesus oferece naturalmente, levam as boas novas aos outros. Se é bom para você, é bom para os outros também! (Dennis Allan)


sexta-feira, 12 de junho de 2015

Namorados, que Deus dê sabedoria e discernimento

Provérbios 5:18 - Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade.

Eu fui um jovem cristão e como a maioria, fui bombardeado por toda sorte de superstição que existe nessa complicada área dos relacionamentos. Ouvi de algumas pessoas que Deus tinha que me mostrar minha futura esposa; de outros, ouvi precisava orar pedindo confirmação. Ainda de outros, ouvi que Deus colocaria a pessoa certa em meus caminhos. O tempo passou e percebi que algumas dessas concepções eram mais superstição do que fatos concretos.

Primeiro, Deus não irá mostrar seu futuro cônjuge (se Ele fez isso com você, pode ser um fato isolado, não uma regra aplicável a todos os cristãos). É você quem vai se interessar por uma pessoa com quem deseja iniciar um relacionamento. Segundo, orar pedindo confirmação de Deus pode ser uma faca de dois gumes, pois quando estamos obstinados por algo, corremos o risco de “forçar” uma interpretação isolada como resposta de Deus. Terceiro, conheço muitas pessoas esperando Deus colocar alguém em seu caminho. Essa espera dura décadas, e até agora “Deus não colocou ninguém”. Estranho não é mesmo?

Que Deus nos dê sabedoria e discernimento, para escolhermos alguém que partilhe da mesma fé e visão e, principalmente, que tenha desejo de construir uma linda história conosco.

                                                    Pastor Sérgio Fernandes
           
               Feliz dia dos namorados, todos os dias!



quarta-feira, 10 de junho de 2015

Onde estivermos, podemos servir o Senhor

Deus permite que os cristãos passem por circunstâncias frustrantes. Quando Paulo escreveu Filipenses 4:11-12 ele estava na prisão, e tinha estado por muitos anos. Mas ouça o que ele disse: "Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez"

A prisão deve ter sido terrivelmente frustrante para um homem que passou sua vida viajando para visitar os irmãos e para desbravar novos territórios para o evangelho. Não obstante, ele declarava que sua prisão tinha feito o evangelho progredir ainda mais (veja Filipenses 1:12-20 para pormenores). Onde estivermos, podemos servir o Senhor. Precisamos nunca usar nosso ambiente como desculpa para o pecado.

A mais baixa classe social do Império Romano era a dos escravos. É difícil para nós que conhecemos somente uma vida de liberdade imaginar como seria degradante existir como propriedade pessoal de alguém. Contudo, Paulo escreveu: "Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade" (1 Coríntios 7:21).

Não é que devemos evitar tirar vantagem de oportunidades para melhorar nossas circunstâncias, mas sim que, quando isto não pode ser feito, não devemos nos afligir por isso. Afinal, o Senhor precisa de bons escravos cristãos. Lembrar o domínio soberano do Senhor deve ajudar-nos a descansar nele e deixar de atormentar-nos pelas limitações causadas por nossas circunstâncias (veja Romanos 8:28).

por Gary Fisher

(foto da internet)



sexta-feira, 29 de maio de 2015

JESUS CRISTO ensinava com simplicidade!

Ele falava por meio de parábolas, "conforme o permitia a capacidade dos ouvintes" (Marcos 4:33). Ele queria que os homens entendessem a sua doutrina! (Carl Ballard)


terça-feira, 26 de maio de 2015

Quando ficamos deprimidos, precisamos de uma nova visão de Cristo.

“Elias se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte e disse. Basta” – “Não aguento mais!”. “E eis que lhe veio a palavra do Senhor e lhe disse. Que fazes aqui, Elias?” (1Rs 19.4,9)

Como Deus tratou de Elias
Deus não o abandonou. Veja como o Senhor tratou com Elias, com tanto amor e compreensão. “Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece dos que o temem. Pois Ele conhece a nossa estrutura e sabe que somos pó” (Sl 103.13-14).


1. Uma boa refeição (v.6) 
2. Uma boa noite de sono (v.6) 
3. Mais uma boa refeição (v.7 e 8) 
4. Volta para o lugar de revelação (v.8-15)


Elias superou seu estado depressivo, porque Deus o mandou para o lugar de revelação no monte Horebe – “o monte de Deus” (v.8). A revelação esta vez não foi do tipo normal do seu ministério (terremoto e fogo), mas “num cicio tranquilo e suave”. Apesar de tudo, Deus não o abandonou. Ainda há muito serviço para fazer para o Senhor.

[...]

Quando ficamos deprimidos, precisamos de uma nova visão de Cristo.

Não esqueça da promessa do Senhor. “Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador” (Jl 2.25).


                                           Ultimato/parte do texto: Pr. John D. Barnett





sexta-feira, 22 de maio de 2015

Legítimo avivamento

Temos de nos expor sem reservas à luz do Todo-Poderoso.
Tanto Davi como Jeremias não falavam dos pecados dos outros – muito menos referiam-se aos pecados de ímpios pagãos. Falavam dos seus próprios pecados e lamentavam por si mesmos, por sua própria maldade. Felizes os cristãos que passam por isso de vez em quando!

Bem-aventurado aquele que quase sucumbe debaixo do peso dos seus pecados quando se apercebe de todo o mal que mora dentro dele! Mas para tanto temos de nos expor sem reservas à luz do Todo-Poderoso. Só assim veremos e reconheceremos nossos erros.

E só assim começaremos a derrubar e destruir. E então um legítimo avivamento poderá ter início na nossa vida. Então poderemos nos alegrar no nosso Salvador e Rei Jesus!

(trecho do texto) Marcel Malgo

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Jesus Cristo é o Autor e Consumador da nossa fé,

Pratiquemos o que dizemos crer
...Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao dia de Cristo Jesus." Filipenses 1.6
Se durante o dia há fúria e tempestade ao nosso redor, e o inimigo tenta de todas as maneiras nos derrubar, sabemos que estamos seguros em Jesus, e a partir dessa segurança temos a capacidade de reagir.

Este é justamente o nosso combate da fé, que pratiquemos o que dizemos crer.

Em compensação, só somos capazes disso se, pela manhã, no silêncio, tivermos tido um encontro com o vencedor Jesus Cristo. Em outras palavras: aquele que quer ser vitorioso no dia-a-dia, este deve ter tido um encontro com o Vencedor.

Ele dá o querer e também o executar; Ele pode o que nós não podemos pela própria força. "A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza." E quando falhamos, precisamos desanimar? Não! Aquele que confessa ao Senhor suas falhas e sua incapacidade, e se humilha, este pode contar com o perdão que é dado pelo precioso sangue de Jesus.

Mas a renúncia é uma astúcia do inimigo, ao qual devemos resistir. Jesus Cristo é o Autor e Consumador da nossa fé, e Ele também há de completar a boa obra que começou em nós.

                                                                    por Wim Malgo

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Monarquia espiritual: Cristo é tudo em todos

Paulo nos revela que o dom que cada cristão possui é obra do Espírito Santo. Ele ensina que os dons são vários e que diferentes dons. Por isso, todos precisam de todos. “Portanto, o olho não pode dizer para a mão: Eu não preciso de ti. E a cabeça não pode dizer para os pés: Não preciso de vocês.” (I Coríntios 12:21). Na igreja, a unidade é feita de muitos diferentes.

A igreja, diz Paulo, é o corpo de Cristo. A metáfora do corpo possibilita uma multidão de implicações e ensinos. Um deles é o da interdependência dos membros da igreja de Cristo. Porque cada parte do corpo desempenha uma função especializada, manda a lógica do sistema que o todo dependa das partes. Ao ponto de Paulo afirmar que “as partes do corpo que parecem ser as mais fracas são as mais necessárias”!

Na igreja de Cristo não deve haver hierarquia. A igreja, por ter Cristo como cabeça, é uma monarquia espiritual. Estruturado como corpo, cada ínfima parte é diretamente relacionada à Autoridade suprema. Ao corpo se aplica a afirmação de que “Cristo é tudo em todos”.

A interdependência dos membros da igreja somente acontece quando todos reconhecem o senhorio do Mestre. É neste contexto que entendemos “quão bem-aventurados são os pés daqueles que anunciam a Palavra”.

                                                                                          pr. Olavo Feijó



quinta-feira, 14 de maio de 2015

Não é bom saber que Deus trabalha em nós?



1 Pedro 1:2 - Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas
Deus nos escolheu. Isto é fato consumado! Agora, como podemos viver uma nova vida para Ele? O apóstolo Pedro nos explica. Copiando suas próprias palavras, “(...) pelo Espírito de Deus, vocês foram feitos um povo dedicado a ele a fim de obedecerem a Jesus Cristo e ficarem purificados pelo seu sangue” (vv.2b).

O Espírito Santo dentro de nós é a ferramenta que Deus tem usado para nos libertar do nosso velho jeito de viver, a fim de experimentarmos a nova vida que Jesus prometeu aos seus fiéis (Jo 10.11). Neste processo, o Espírito nos ensina a vivermos para Deus, e o sangue de Jesus Cristo nos purifica quando falhamos em glorificar ao Senhor.


Não é bom saber que Deus trabalha em nós?



por Pastor Sérgio Fernandes



quinta-feira, 30 de abril de 2015

LAR CELESTE - Andar com Jesus leva ao lar celeste!

O evangelho purificador

"Assentar-se-á como derretedor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi e os refinará como ouro e como prata; eles trarão ao SENHOR justas ofertas" (Malaquias 3:3).

Uma das razões porque Jesus repreendeu tão fortemente os chefes religiosos de seus dias foi porque eles eram tão corruptos. Seus motivos eram egoístas e suas atitudes para com os outros eram de desprezo.

A lei de Deus jamais foi para ser usada do modo como os fariseus a estavam usando. João, apaixonadamente, exortou o povo a mudar a sua maneira de agir. Jesus continuou esse tema, ressaltando não somente a pureza de ação, mas também de pensamento (Mateus 5:21-22,27-28; 6:19,23).

E quem pode esquecer a principal afirmação da História sobre o valor da verdade: "...conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará" (João 8:32).

Para a purificação acontecer, é preciso haver divisão. Jesus tinha advertido seus discípulos disso. Aqueles que fazem o mal odeiam a luz (João 3:19-21). Daquele dia até hoje, o mundo não esconde a sua má vontade para com aqueles que vivem pela fé.

Mas andar na luz com Jesus é melhor do que andar com o mundo em trevas, pois andar com Jesus leva ao lar celeste, mas andar com o mundo leva à ruína.

-por Jon Quinn


sábado, 25 de abril de 2015

Precisamos somente dizer aos outros o que Jesus disse.

Há trabalho para fazermos, mas “a excelência do poder seja de Deus e não de nós” (2 Coríntios 4:7). Então, a Deus seja a glória! Conforme Deus uma vez lembrou a Moisés, não importa muito quem somos; importa lembrar quem é ele (Êxodo 3:10-14). Por esta razão não faz nenhuma diferença se a semente do evangelho é plantada por algum doutor em agricultura espiritual ou por algum santo recém convertido, a semente germinará e crescerá por si mesma!


Como o apóstolo Paulo uma vez observou a alguns cristãos impressionados com pregadores e suas habilidades: “Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos, por meio de quem crestes, e isto conforme o Senhor concedeu a cada um. Eu plantei, Apolo regou, mas o crescimento veio de Deus” (1 Coríntios 3:5-6).

Mas isto não é apenas um problema daqueles que pensam muito orgulhosamente nas habilidades humanas, mas também daquelas almas humildes que ansiosamente se atormentam pela sua própria incapacidade como mestre. Aqui, novamente, precisa ser asseverado que o que acontece com a semente plantada não depende de nossas habilidades ou da falta delas, mas da própria palavra de Deus.

Não temos que ficar o tempo todo afinando as coisas, sempre tentando pegar uma linha que pensamos que podemos ter deixado escapar. Precisamos somente dizer aos outros o que Jesus disse, e essa poderosa palavra eterna ficará trabalhando enquanto estivermos dormindo!

–por Paul Earnhart


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Ser seguidor de Jesus é aprender a reconhecer que nem tudo tem de ser feito a nosso modo.

João, discípulo de Cristo, em uma de suas andanças encontrou um homem que expelia demônios usando o nome de Jesus. Este homem não era um dos seguidores de Jesus no mesmo sentido que eram os apóstolos e outros comissionados para aquele trabalho (Lucas 9.1-2; 10.1-12).

João, talvez inspirado por um espírito de partidarismo como o de Josué (Números 11.16-30), proibiu o homem de continuar sua obra. Talvez, por causa do ensino sobre receber alguém em nome de Jesus, ele lembrasse do homem que, aos seus olhos, estava usando este nome sem merecê-lo e portanto não devia ser acolhido.

Ele pede o parecer de Jesus sobre sua ação (Marcos 9.33-38; Lucas 9.46-49).
Ironicamente João estava agindo como os escribas que anteriormente se opuseram a Jesus apesar da evidência da ação do Espírito Santo na realização de exorcismos (Marcos 3.22). Agora ele se opunha a um homem que tinha evidência de ter fé em Jesus e que estava fazendo o que alguns apóstolos não tinham conseguido um pouco antes (Marcos 9.18,28).

O Mestre ensinou que o comportamento de João, que representava o dos doze, era errado (Marcos 9.39-40). "Quem não é contra nós, é por nós" diz Jesus. Se aquele exorcista usava o nome de Jesus, deveria ter sido considerado como amigo por João e não como inimigo ou concorrente.

Os discípulos de Cristo não precisam tomar "posições" com respeito aos homens; os homens é que precisam tomar uma posição com respeito a Jesus.

O sentimento de rivalidade e de competição não é compatível com o caráter de servo que Jesus ensinou aos seus seguidores. Ser seguidor de Jesus é aprender a reconhecer que nem tudo tem de ser feito a nosso modo.

Se o exorcista estava a favor de Jesus, deveria ser incentivado e não criticado; deveria, se necessário, ser instruído com maior exatidão sobre o caminho do Senhor (Atos 18.24-19-7). Ele não era como os sete filhos de Ceva (Atos 19.13-16), mas parecia ser alguém com uma boa atitude espiritual.

[...]

por Álvaro César Pestana

 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

A luz no fim do túnel: Jesus voltará!

... o mundo secular (desligado de Deus) tem chegado sempre mais à convicção de que nos aproximamos do fim do mundo. Parece que os sinais dos tempos prenunciam a chegada da noite, e o nosso mundo vê mais "o túnel no fim da luz" do que o inverso. 

Mas os filhos de Deus não têm motivos para ficar resignados. Ao contrário. Para eles, pela fé, aparece a luz no fim do túnel: Jesus voltará. Lemos em 2 Tessalonicenses 1.10: "quando vier para ser glorificado nos seus santos e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquanto foi crido entre vós o nosso testemunho)." 

Até que chegue esse momento, devemos remir o tempo e cumprir nossa tarefa  para que mais pessoas sejam ganhas para o Senhor Jesus e para que Sua  Igreja seja preparada para quando Ele voltar. 

Acima de tudo, temos a Palavra Profética, para a qual devemos atentar como uma luz que brilha em lugar tenebroso (2 Pe 1.19)

trecho do texto de  
Norbert Lieth



segunda-feira, 13 de abril de 2015

Uma verdade gloriosa É sermos chamados de "amigos" de Jesus Cristo


Como crentes renascidos fazemos bem em sempre examinar a nossa posição diante do Senhor. Isso faz parte do fundamento de qualquer discipulado verdadeiro.

Em João 15.15 lemos a gloriosa palavra do Senhor Jesus:
"Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer."

Sobre isso devemos nos alegrar de todo o coração. Mas com esta passagem acontece o mesmo que com todas as demais afirmações das Escrituras: devemos lê-la em seu contexto para não chegarmos a uma interpretação unilateral.

No que diz respeito ao conteúdo desta palavra, por um lado trata-se de uma verdade gloriosa sermos chamados de "amigos" de Jesus Cristo, pois Ele mesmo o afirmou. Mas por outro lado devemos ter em mente que somente somos amigos de Jesus Cristo quando cumprimos Suas condições:

"Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando" (v. 14).

Sua palavra "mas tenho-vos chamado amigos" está ligada inequivocamente à condição: "...se fazeis o que vos mando." Oh, que nós como crentes observássemos e concordássemos mais com esta verdade! Então também entenderíamos muito melhor o que significa seguir o Cordeiro por onde quer que vá.


por Marcel Malgo



sexta-feira, 10 de abril de 2015

Façamos de DEUS NOSSA VIDA!


Necessitamos dessa mensagem. É má notícia. Mas precisamos receber as más notícias para procurarmos a cura. Podemos menosprezar o fato da vida ser vazia, podemos ocupar-nos em atividades frenéticas, podemos trombetear em alto som que estamos felizes e satisfeitos, mas não podemos escapar. Buscando sombras incontáveis ficamos cada vez mais vazios. Somente quando reconhecermos a total futilidade de todos os esforços nesta vida, nos voltaremos para aquele que pode dar o significado e a satisfação que buscamos.

A vida realmente tem significado, propósito e valor quando nossa meta é servir a Deus. "De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más" (12:13-14).

Há um espaço em nossa alma que somente Deus pode ocupar, e nunca estaremos em paz até que permitamos que ele a preencha.

Esta é a mensagem de Eclesiastes. A vida é vazia, a menos que façamos de Deus nossa vida. Ele é a única meta adequada de nossa existência. Sem Ele descemos no vazio e no desespero, apesar de todos os esforços para nos enchermos com o mundo. "Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade" (1:2).

-por Gary Fisher


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...