Tradutor, selecione o idioma:

domingo, 28 de dezembro de 2014

Você tem valor, você é importante para Deus.

A gratidão é um dos sentimentos mais belos da vida cristã. E qual é o filho de Deus que sabe ter sido salvo e liberto por Cristo que não irá irromper num cântico de louvor e gratidão a Deus por tão grande salvação recebida. Um velho hino cristão dizia: “Ah, se eu tivesse mil vozes para o Senhor louvar”.

Deus nos criou com um propósito claro e específico. Deus nos salvou através do tremendo sacrifício de seu amado Filho. Você é tão importante para Deus que ele te chamou pelo teu nome e te incluiu no rol dos salvos para sempre. Você tem valor, você é importante para Deus.

Conta-se de um filho de família pobre, que a muito custo conseguiu realizar o sonho de sua vida: formar-se em medicina. No dia de sua formatura, ele soube honrar aquela mulher que muito tinha contribuído para que isto se concretizasse: sua querida mãe. Ela mesma, a custa de muitos sacrifícios, esforçara-se para dar ao filho uma ótima educação. Ele, então, expressando toda a gratidão a ela, quando estava recebendo o diploma, chamou-a à frente e a fez sentar-se em sua cadeira, dizendo-lhe com muito amor: obrigado, mamãe, este canudo também é teu. Muito obrigado.

Se no plano natural sabemos ser tão agradecidos, como não o seremos em relação ao nosso querido Pai. Nunca te esqueças de ser grato. Salmodie e agradeça a Deus todos os dias. Junto com o salmista diga: “GRANDE É O SENHOR E MUI DIGNO DE SER LOUVADO.” Salmo 48

Autor: Telmo Weber

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Natal é uma pessoa; Natal é Jesus!


O Natal não é uma data religiosa, ou mesmo, uma força mística de paz ou um vento de bons fluídos. Natal é uma pessoa; Natal é Jesus!

Mais do que tudo, o mundo precisa da verdadeira mensagem de esperança que só o Natal de Jesus pode trazer. Vamos levar por meio das nossas vidas, à nossa comunidade e sociedade, as palavras, ações e atitudes de esperança, fé e amor! É tempo de Natal!

__________ por Pr. Carlito Paes


sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Em cada situação, fale com Jesus



"E eis que, dentre a multidão, surgiu um homem, dizendo em alta voz: Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um espírito se apodera dele e, de repente, grita e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado." Lucas 9:38-39

Existem problemas familiares de todo tipo. Jesus, tanto no Seu tempo na terra como ainda hoje, é maior do que todos os problemas familiares. Isso o pai daquele rapaz atormentado pelo mal também sabia, e por isso veio a Jesus com sua aflição. 

Ninguém foi capaz de remediar sua aflição familiar, somente Jesus podia ajudar. E Ele ajudou! 

Ele "repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai." Hoje Jesus também quer ajudar em todo problema familiar, seja ele causado por culpa própria ou de estranhos. 

Em cada situação, fale com Jesus sobre o assunto; fale com Ele como fez aquele pai aflito. Se Ele não intervém imediatamente, não desanime. Continue falando com Jesus sobre os seus problemas familiares. Ele o ouvirá e, tocado por misericórdia, mais uma vez se mostrará como Aquele que é maior que tudo. Ele não o rejeitará, pois Ele mesmo disse: "...o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora."

          ______________ do DevocionalDiário




quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Os bombeiros de Judas


Salvem os outros, tirando-os do fogo. (Jd 23) 
Um ancião não deve ser tratado como uma criança nem a criança deve ser tratada como um adulto. Ponho a criança no berço e o ancião numa cadeira de rodas. Aqueles que têm dúvidas devem ser tratados de um jeito. As pessoas que estão sendo chamuscadas pelo fogo devem ser tratadas de outro jeito. Os pecadores que persistem no pecado devem ser tratados de outra maneira ainda. Uma estratégia diferente para cada pessoa diferente e para cada problema diferente. Essa é a orientação de Judas. 

Quanto aos que estão se queimando no fogo, tenho que fazer sem perda de tempo o papel de um bombeiro: antes de apagar o fogo (o que talvez eu não consiga), eu os tiro do fogo. 

É bem provável que Judas tenha retirado essa imagem do Antigo Testamento. Para ilustrar a graça de Deus, o profeta Amós, mais de setecentos anos antes, disse que os sobreviventes dos juízos de Deus pareciam “um galho que no último momento é tirado do fogo” (Am 4.11). 

Os crentes aos quais Judas escreve deveriam salvar seus irmãos em crise, em pecado, em perigo ou a caminho do juízo, retirando-os dessas situações trágicas. Estes correm mais riscos do que os que tinham dúvidas. Talvez tenham sido mais influenciados pelos lobos vorazes do que os primeiros: os outros estavam hesitando e estes já não hesitam mais, porém estão debandando ou já debandaram para o lado daqueles bajuladores, dos quais Judas se queixa amargamente. 

Pode ser que houvesse um quarto grupo com o qual deveriam lidar. Ou, então, que eram pessoas do mesmo terceiro grupo em situação bem mais grave. A esses os “bombeiros” deveriam mostrar misericórdia, mas tomar todo cuidado para não se queimarem, odiando o que eles faziam e até as roupas íntimas deles “manchadas pelos seus desejos pecaminosos” (v. 23). 

Que Deus me ajude a arrebatar do fogo os que estão se queimando sem me queimar! 

>Retirado de Refeições Diárias com os Discípulos. Editora Ultimato.



terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Nas provações, cresçamos e amadureçamos

A fé precisa ser provada pela obediência. Está escrito claramente em Êxodo 15.25, que o Senhor provou Seu povo. Quando o Senhor nos prova, não precisamos ficar com medo, pois então Ele também assume plena responsabilidade por nós.


Ele não abandona nenhum de Seus filhos."Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar" (1 Co 10.13). E o desfecho da provação foi maravilhoso para Israel! 

O importante é aprendermos as lições através de algum problema pelo qual estejamos passando no momento, o essencial é que cresçamos e amadureçamos: "...para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo" (1 Pe 1.7). 

Esse também é o tema central do apóstolo Paulo, que nos adverte insistentemente: "Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo" (Ef 4.15). Se não quisermos passar por provações, tornar-nos-emos superficiais e indiferentes e perderemos as maiores bênçãos.

_______________ trecho do texto de Burkhard Vetsch 


domingo, 30 de novembro de 2014

A experiência do deserto

Não é sem motivo que Deus, logo após libertar o povo da escravidão no Egito, os conduziu para o deserto. A passagem pelo deserto era necessária para ajudá-los a deixar para trás a mentalidade da escravidão e a compreender a nova liberdade que Deus lhes estava oferecendo.

[...] o deserto é o lugar do encontro com Deus, da rendição do orgulho e da ilusão de sermos senhores do nosso destino. É o lugar da companhia divina, do silêncio diante de Deus, onde a quietude nos ajuda a reconhecer a presença dele. 

O silêncio que nos torna mais atenciosos à voz de Deus. 

Para sermos livres, precisamos nos afastar, por um tempo, do mundo dos homens para entrarmos, a sós, no mundo de Deus. Um tempo no qual as paixões, tensões, pressa, vão, lentamente, cedendo espaço para percebermos a realidade à luz da eternidade e restabelecermos o valor correto das coisas. No deserto, reduzimos nossas necessidades àquilo que é essencial. 

A enfermeira americana Bronnie Ware escreveu um livro sobre os “cinco maiores arrependimentos ou lamentos de pacientes terminais”. Depois de acompanhar por vários anos estes pacientes, ela listou aquilo que eles gostariam de ter feito e não fizeram, como: ter mais tempo para os amigos e não ter trabalhado tanto. O deserto deles trouxe uma outra dimensão de suas reais necessidades.

Na solidão do deserto, descobrimos a suficiência da graça de Deus. Teresa de Ávila (1515--1582) descreveu num poema sua experiência no deserto:

Nada te perturbe,
Nada te espante.
Tudo passa.
Deus não muda.
A paciência tudo alcança.
Quem tem a Deus,
Nada lhe falta.
Só Deus basta.

Nossa necessidade primeira é Deus. De tudo o que aprendemos no deserto, a lição mais importante é que aquilo de que mais necessitamos encontramos na comunhão com Deus. 

A experiência do deserto nos conduz ao autoesvaziamento, ao desapego dos ídolos que nos oferecem a falsa segurança, e à completa submissão a Deus e aos seus caminhos. Aprendemos a ver a vida desde a perspectiva da eternidade, o que nos ajuda a colocar em ordem nossos valores.

             ________ trecho do texto de Ricardo Barbosa de Sousa



domingo, 23 de novembro de 2014

A necessidade urgente: ARREPENDIMENTO

Quando pecamos contra outro, a necessidade não é de mais comparecimento às assembleias de adoração ou maior liberalidade nas coletas dominicais ou evangelismo pessoal mais animado, ainda que estas coisas podem, em geral, ser tratadas mais seriamente por todos nós. 

A necessidade urgente da hora é de arrependimento e reconciliação com nosso irmão ou irmã ofendido. (Esposos e esposas, especialmente, necessitam de ouvir isto. Lembrem-se de que esposos e esposas e filhos também são "próximos"). 

Davi abordou este assunto no caso de seu próprio doloroso fracasso moral, com Bate-Seba e Urias: "Pois não te comprazes em sacrifícios, do contrário eu tos daria; e não te agradas de holocaustos. Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito não o desprezarás, ó Deus" (Salmo 51:16-17). 

Não tente oferecer a Deus adoração quando o arrependimento é exigido.

____________ por Paul Earnhart


quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Tire o celular, pois a terra é santa!


Por Calebe Ribeiro


Se Moisés tivesse um IPhone na época da sarça provavelmente ele passaria por ela sem perceber o evento, ou talvez, começaria a filmar e depois lançaria no Instagram com a tag: “#SemFiltro”.

O celular nos priva muitas vezes de perceber “sarças que se queimam” por aí. O que quero mostrar é que o celular também é um forte concorrente disputando o monopólio da nossa atenção.

Não me venha com esse papo de que é possível mexer em um aplicativo enquanto se conversa com alguém e ainda assim manter a atenção concentrada nas duas coisas. Bobagem! Deixou de ser atenção concentrada e tornou-se atenção fragmentada.

Nos filmes mais antigos, depois de uma boa noite de sexo, cada um virava para o seu lado da cama e acendia um cigarro, cena clássica essa. Hoje, um casal moderno e tecnológico depois do sexo vira cada um para o seu lado e vai mexer no celular, dar uma última olhada no Facebook e no Instagram.

Acordamos com o celular na nossa mão, pois ele é o nosso despertador. Tomamos café com ele, pois ficamos mandando mensagem ou lendo as notícias. Vamos para o trabalho com ele nos nossos ouvidos, pois transformou-se no nosso Ipod. Ficamos no trabalho com ele em cima da mesa e qualquer notificação já olhamos para a tela, não respeitamos nem as reuniões, nem as aulas, olhamos mesmo. Quando vamos ao banheiro não existe melhor companheiro do que um celular, só na hora do banho que fica difícil, mas agora já inventaram um que não molha. Enfim, o celular passa mais tempo com a gente do que nossas esposas, maridos, filhos, amigos.

Estou para completar um ano de casado e percebi que toda vez que minha esposa e eu levamos o celular para a cama nos privamos de conversar um com o outro. Ficamos em silêncio olhando para a tela do celular e algumas vezes comentamos alguma coisa. Depois de desligados os celulares (de forma forçada, pois a bateria já chega nos 5%) falamos boa noite um para o outro e dormimos.

Comecei a perceber que os últimos trinta minutos do meu dia, dos quais poderia passar conversando com minha esposa, passei na verdade de olho na telinha. Engraçado que quando compartilhei essa realidade com alguns amigos eles riram e falaram passar pela mesma situação.

Propus um acordo com minha mulher, o de não levar tecnologia para a cama. Estamos nos adaptando a essa nova realidade, ficar sem o celular é como se sentir nu, somos viciados àquela zapiada rapidinha que, na verdade, leva uns 15 minutos.

Na tentativa de não passar desapercebido por nenhuma “sarça ardente”, adaptamos a ordem de Deus e nos exortamos mutuamente dizendo: “Tire o celular, pois a nossa cama também é solo sagrado”.


Ultimato
 Calebe Ribeiro é um dos pastores de jovens da Igreja Presbiteriana do Recreio, no Rio de Janeiro (RJ). É também missionário da Missão Jovens da Verdade.


domingo, 16 de novembro de 2014

Que amor sublime!

O Senhor Jesus também sofreu fisicamente. Ele sabe o que é dor. Dor física e moral. Pensemos nas bofetadas dos guardas, os açoites que recebeu, a coroa de espinhos que Lhe puseram na cabeça, o peso da cruz que teve de carregar e os cravos que traspassaram Suas mãos e pés. O Senhor Jesus sofreu de forma inimaginável em Seu corpo.

É um pensamento consolador saber que o Salvador quis passar por tudo o que passamos, por me amar e querer compartilhar de todos os detalhes da minha condição humana. Isso coloca nossas dificuldades sob uma luz muito diferente. Que amor sublime!

E o Senhor Jesus não parou por aí. Ele compartilhou nossa natureza humana, mas foi além. O Senhor Jesus nos concedeu aos que crêem algo totalmente indescritível: o compartilhar de Sua própria natureza divina, conforme afirma o apóstolo Pedro: "Ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina" (2 Pedro 1:4).

_____________ de Boa Semente/Devocional 2015 


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

As AÇÕES são a maior e melhor pregação que podemos fazer!


O amor – João é enfático em dizer que Deus é amor (1Jo 4.8,16). Jesus resume todos os mandamentos em apenas dois: amar a Deus e amar ao próximo (Mt 22.37-40). Porém, esses dois mandamentos são interligados, pois não há como amar a Deus e desprezar o próximo e não há como amar ao próximo incondicionalmente sem conhecer o verdadeiro amor em Deus. 

O amor que Deus derrama sobre nós não é possessivo, não é egoísta e só deseja o bem. Esse é o padrão de amor que o verdadeiro discípulo de Cristo compartilha com seu próximo (1Co 13.4-8). 

Aquele que tem o caráter cristão brilha como luz no mundo! 
Seus valores, suas práticas no cotidiano, a maneira como administra conflitos e a forma como trata as pessoas anunciam a grandeza do Deus a quem serve. O caráter cristão anuncia a salvação em Cristo sem palavras. E as ações são maior e melhor pregação que podemos fazer!


____ de "Ensinador Cristão, Número 59" ___


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Ler e falar a Palavra

Os cristãos geralmente se descrevem como quem tem “um relacionamento pessoal com Deus”. Tal relacionamento gira em torno da comunicação. Deus fala conosco através de Sua Palavra, e nós falamos com Ele através de nossos lábios e nossa mente. Se não ouvirmos (lermos a Palavra) ou falarmos (orarmos), o relacionamento se rompe.

Oramos porque Deus nos ordena: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Fp 4.6-7).
“Orai sem cessar” (1Ts 5.17). “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Fp 4.6-7).
 
De acordo com a tradição judaica, o profeta Daniel orava três vezes ao dia, independentemente das circunstâncias (Dn 6.12-13). Deus quer que Seu povo ore.

                                   ___________ por Steve Herzig _______________


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

DUAS PALAVRAS-CHAVE

 Essas duas palavras, "Crê somente", estão entre as mais consoladoras palavras do Senhor Jesus. Elas contêm a essência e o resumo da verdade que salva.

Seus pecados passados estão assolando seus pensamentos em um constante martírio mental, tentando você a dar lugar ao desânimo e à desesperança? Não tema! Somente creia que Ele morreu por você, e está vivo, e ao seu lado "todos os dias, até a consumação dos séculos" (Mateus 28:20).
Você está sendo acossado por provações difíceis? Seus planos mais inteligentes foram cortados pela raiz? Você se sente atingido por onda após onda de problemas? É como se o Senhor tivesse esquecido de ser bom contigo? 


A palavra do Senhor Jesus para você é: Creia, creia somente. Creia que o Senhor lhe ama, e provou isso na cruz; creia que "como sois participantes das aflições, assim o sereis também da consolação" (2 Coríntios 1:7); que Deus nos corrige "para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade" (Hebreus 12:10); e que Deus "nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina" (2 Pedro 1:4).

Se você está diante da perspectiva de enfrentar a morte, faça como Davi: "Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo" (Salmo 23:4). Não tenha medo, porque o Senhor da vida está ao seu lado, e depois desse vale, você nunca mais será como é, "porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido" (1 Coríntios 13:12).

Não permita que ninguém, nem qualquer situação roubem de você a sua fé em Cristo!

_________________ de "Boa Semente" Devocional 2015


quinta-feira, 6 de novembro de 2014

A correção

A correção é essencial para a vida de todo cristão. Em sua segunda carta a Timóteo, Paulo orientou seu jovem discípulo a respeito do valor das Escrituras para a correção (como também para a repreensão!), "a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra" (2 Tm 3.16-17).

A correção tem que começar em casa, isto é, deve haver a disposição não somente de sermos corrigidos por outros, mas também o desejo de corrigirmos a nós mesmos. 

A admoestação "Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé" (2 Co 13.5) não pede uma avaliação pública; ela requer que analisemos a nós mesmos e então façamos o que for necessário para colocar as coisas em ordem diante do Senhor. Sem a disposição de considerar a possibilidade de uma "trave" em nosso próprio olho, a hipocrisia dominará em qualquer correção a outra pessoa.

________________  por T. A. McMahon 


sábado, 1 de novembro de 2014

O melhor ainda virá!

Quando chegarmos ao céu e virmos o trono de Deus, teremos a certeza de ter sido aceitos com base no sangue de Jesus. O véu foi rasgado, como aconteceu com a sua cópia terrena (veja Mt 27.51), abrindo-nos assim o acesso ao Santo dos Santos. 

Em Hebreus 10.19 somos convidados a entrar. Hoje só podemos nos colocar na presença de Deus em pensamento, mas virá o dia em que entraremos de fato no Santo dos Santos, pois lá é o nosso lar. Então experimentaremos o que agora antecipamos em pensamento, pois o melhor ainda virá!

__________ por Roger Liebi 


terça-feira, 28 de outubro de 2014

Deus escolhe ser paciente


Deus é longânimo quando ele dá tempo para o pecador se arrepender. Deus seria perfeitamente justo se ele castigasse o pecador na hora, mas ele escolhe ser paciente. 

A longanimidade de Deus é vista nos dias de Noé, dando tempo para os homens se arrependerem (1 Pedro 3:20). Na época de Neemias, o povo reconheceu que Deus tinha sido muito paciente com seus antepassados (Neemias 9:29-30). 

Podemos ver esta mesma longanimidade em nossas vidas. 

Se Deus castigasse cada pessoa no momento do seu primeiro pecado, o que teria acontecido conosco. Eu não estaria vivo para escrever este artigo, e quem estaria aqui na terra para lê-lo?

_______________  por Dennis Allan


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A consolação divina é assim

2 Coríntios 1:4 - Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.

Ultimamente, tenho adotado o título de pregador desmotivacional. Enquanto uma boa parte dos evangelistas que tenho visto por aí tem dito que "chegou o tempo de parar de sofrer", eu ainda anuncio, como o Mestre Jesus fazia, que "no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo (...)" (Jo 16.33). 

O sofrimento é uma parte natural do nosso discipulado. Mas podemos ter bom ânimo diante das aflições, porque Cristo venceu o mundo e nos fez filhos do "Deus de toda consolação" (2 Co 1.3). Consolar aqui significa "animar", "oferecer conforto". 

Eu vejo nessa afirmação bíblica a minha figura de pai me relacionando com minha filha. Quando ela se assusta, ou se machuca brincando, eu rapidamente a pego no colo e aperto contra o meu peito. Com esse gesto, estou dizendo para ela: "filha, fique tranquila, papai está aqui, vai tudo ficar bem". 

A consolação divina é assim. O Pai nos envolve com seu amor, e pela presença do Espírito, nos recorda que, embora os dias sejam trabalhosos, aguardamos um tempo em que o mal será banido do universo, e viveremos para sempre com Ele.

Deixa Ele te abraçar bem forte! 
Pastor Sérgio Fernandes/devocional-amoremcristro

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Discípulo humilde


O entendimento da relação do discípulo com o Mestre naturalmente criará em nós um respeito profundo pela vontade do Senhor. Enquanto outros defendem muitas práticas erradas, dizendo que Deus não as proibiu, o discípulo fiel examina com mais cuidado e percebe que a Bíblia não é um livro de proibição e, sim, de permissão. 

Ao invés de tentar justificar a sua própria vontade, o seguidor de Jesus se limita às coisas que Deus permite, as coisas autorizadas nas Escrituras. Ele percebe, pelo estudo da palavra, que não devemos ultrapassar o que Deus revelou, pois tal abordagem aumenta a arrogância ao invés de demonstrar a humildade de servos do Senhor (1 Coríntios 4:6). 

Pessoas egoístas seguirão a sua própria sabedoria e dirão que têm liberdade para tratar a Bíblia como uma mensagem "dinâmica" que se adapta à circunstância atual (Provérbios 14:12; Jeremias 10:23; 1 Samuel 13:12). Mas as pessoas espirituais mostrarão respeito maior para com Deus, sabendo que ele é perfeito e perfeitamente capaz de revelar sua vontade aos homens "uma vez para sempre" (Judas 3) para os habilitar "para toda boa obra" (2 Timóteo 3:16-17). 

O servo fiel entende que o Mestre Jesus recebeu autoridade para mudar a lei, fazendo o que não fora autorizado anteriormente (Hebreus 7:11-14). Mas o discípulo humilde jamais ousaria mudar a lei ou ultrapassar o ensinamento de Jesus (2 João 9).

__________ por Dennis Allan

(grifo meu)



sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Seguir o projeto do Senhor

O homem que tem bom sucesso na vida é aquele que permite a Deus dirigir seus passos em qualquer situação, como um membro do corpo espiritual de Cristo, a igreja, como um cidadão, um empregado e um esposo ou pai.

No dia do Juízo Final, o Senhor não perguntará com que velocidade uma pessoa pode correr, a que distância pode chutar uma bola, quanto dinheiro acumulou através de negócios, ou mesmo quão famoso foi na vida. Cada um de nós será julgado pelo manual do sucesso do Senhor (João 12:48).

A medida de nosso sucesso será como seguimos o projeto do Senhor para um homem piedoso. O mundo, certamente, mede os homens por um padrão diferente, mas é a Deus a quem devemos prestar contas.

_________ por Allen Dvorak





segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Deus sabe tudo!

por Wim Malgo,

Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço." Romanos 7.19

Essa não é a sua imagem? Você gostaria de vencer sua ira, seus vícios obscuros, seus pecados, mas não obtém vitória? Por que não? Porque sua entrega não é completa. "Sim", você diz, "bem que eu gostaria de viver totalmente para Jesus, mas não tenho forças."

Deus não espera força da sua parte, pelo contrário. Se você segue a Jesus, não se tornará forte de repente, mas continuará tão fraco como era antes. Mas mesmo assim é possível ter uma vida vitoriosa, pois a vitória do Senhor Jesus na cruz do Calvário é uma realidade.

Lá na cruz, Ele exclamou: "Está consumado!" Mas será que então, no momento em que você se decidir por Jesus, de repente você se tornará forte para vencer? Não, isso também não. Você continuará tão fraco como antes, e até se tornará mais fraco ainda. Mas por meio da sua decisão consciente você libera uma força que não tem em si mesmo, mas que está à sua disposição.

Após o seu sim total a Jesus fica à sua disposição todo o poder vitorioso de Jesus. Não olhe agora para os seus pecados, não olhe para a sua fraqueza. Deus sabe tudo! Ele sabe que tipo de criaturas somos. Também não olhe para as preocupações que pesam em seu coração, mas lance-se nos braços fortes de Jesus!


sábado, 4 de outubro de 2014

A ansiedade é enganadora


A ansiedade tem o poder de criar um problema que não existe – Muitas vezes sofremos não por um problema real, mas um problema fictício, gerado pela nossa própria mente perturbada. Os discípulos olharam para Jesus andando sobre as águas, vindo para socorrê-los e cheios de medo pensaram que ele era um fantasma.

A ansiedade tem o poder de aumentar os problemas e diminuir nossa capacidade de resolvê-los – Uma pessoa ansiosa olha para uma casa de cupim e pensa que está diante de uma montanha intransponível. As pessoas ansiosos são como os espias de Israel, só enxergam gigantes de dificuldades à sua frente e vêem a si mesmos como gafanhotos. Davi e os soldados de Saul. Todos vêem o gigante, Davi olha a vitória. Geazi olhou os inimigos e ficou com medo, Eliseu olhou com outros olhos.

A ansiedade tem o poder de tirar os nossos olhos de Deus e colocá-los nas circunstâncias – A ansiedade é um ato de incredulidade, de falta de confiança em Deus. Onde começa a ansiedade termina a fé.

A ansiedade tem o poder de tirar os nossos olhos da eternidade e colocá-los apenas nas coisas temporais – Uma pessoa ansiosa restringe a vida apenas ao corpo e às necessidades físicas. Jesus disse que aqueles que fazem provisão apenas para o corpo e não para a alma são loucos. John Rockefeller disse que o homem mais pobre é aquele que só tem dinheiro.

[...]

No Reino de Deus você tem o que você dá e perde o que você retém. No Reino de Deus há ricos pobres e pobres ricos. A grande questão é onde está o nosso tesouro. Se ele estiver nas coisas, então iremos fazer um investimento errado e vivermos ansiosos. Mas se o nosso tesouro estiver no céu, no Reino de Deus, então, buscaremos esse Reino em primeiro lugar e viveremos livres de ansiedade para nos alegrarmos em Deus e deleitarmo-nos nele para sempre.

_________ parte do texto de Hernandes Dias Lopes 




quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A maravilhosa esperança


Que maravilhoso dia será o dia do Arrebatamento para todos os crentes que estiverem vivos, mesmo para aqueles que não acham que ele pode acontecer a qualquer momento. Será maravilhoso porque nossa salvação estará completa à medida que a Igreja perceber tudo aquilo pelo que temos aguardado, inclusive vermos o Senhor face a face pela primeira vez.

A maravilhosa esperança do Arrebatamento para a Igreja deveria ser algo real na vida de todos os crentes, porque as epístolas se aplicam a nós hoje tanto quanto se aplicavam aos crentes quando elas foram escritas. Tal maravilhosa esperança é uma das principais razões pelas quais nós alegremente vivemos por Cristo hoje e priorizamos nossa vida tendo em vista os valores eternos, sabendo que temos “uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros” (1Pe 1.4) Maranata!

_________por Thomas Ice

terça-feira, 30 de setembro de 2014

“Não se turbe o vosso coração”

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede
também em mim” (João 14:1).
Cristo deu aos seus discípulos motivos pelos quais seus corações não deviam se turbar. No mundo pode haver muitos motivos para um coração turbado – preocupação financeira, um acontecimento trágico, uma doença prolongada. Podemos sentir angustiados por causa da culpa e as conseqüências do pecado.

Cristo deu o remédio para o coração turbado – “credes em Deus, crede também em mim”. Quando alguém crê em Deus e em Cristo, e mostra isso através de submissão por vontade própria à sua vontade, há promessas que sustentam — “ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28:20).
Paulo conhecia a “paz de Deus” em vez do coração turbado. “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7). Ele aprendeu que, seja qual fosse o estado que ele se encontrasse, devia estar contente. Seu motivo era, “tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4:13).

–por Billy Norris



domingo, 28 de setembro de 2014

Nossas lutas diárias


Nas nossas lutas diárias podemos ser abandonados por todos os homens e ninguém permanecerá conosco. Podemos nos encontrar sozinhos, lutando como a única pessoa no mundo que busca fazer o que é certo. 

A nossa recompensa não vem da presença dos nossos amigos, mas da presença do nosso Deus. 

Muitas vezes abandonamos os outros quando deveríamos estar mais fortes. Como Paulo orou por aqueles que o deixaram, nós também devemos crescer em força e coragem para enfrentar as dificuldades da vida. 

Lembrem de como somos importantes um para com o outro e de como precisamos permanecer com outros pela causa de Cristo. 

Quando tudo estiver dito e feito, poderemos lembrar das palavras do nosso Deus: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?” (Hebreus 13:5-6). 

–por Kent E. Heaton, Sr.



O Senhor Jesus está vivo e ouve as nossas orações

"CREIO SOMENTE NO QUE VEJO"

Essa é a resposta de muitas pessoas quando ouvem sobre Deus. O homem moderno idolatra a lógica. Quer uma demonstração científica da existência de Deus. Mas essa realidade escapa à investigação humana, porque Deus é Espírito. 

Se os cientistas creem na existência de partículas atômicas jamais vistas, simplesmente por constatarem suas manifestações indiretas mediante experimentos, com maior razão devemos crer em Deus quando Ele dá testemunho sobre Si mesmo.


Por meio da criação, Deus fala a todos os seres humanos. Qualquer cientista ateu reconhece que seria biologicamente difícil explicar por meio do acaso o funcionamento perfeito da natureza.

Mediante Sua Palavra Deus nos revela o que Ele é e o que nós somos. Ela é uma espada que desnuda os pensamentos mais secretos de nosso coração, um espelho que reflete nossa imagem sem qualquer artifício. Mas, sobretudo, a Bíblia nos revela Deus, Seu amor e Seu maravilhoso dom: Seu Filho Jesus Cristo. Sim, Deus Se revela de maneira íntima e surpreendente aos que têm um sincero desejo de conhecê-Lo.

Os que afirmam que creem somente no que os olhos podem ver não imaginam o que estão jogando fora, pois pela fé entendemos que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente (Hebreus 11:3). Mas se deseja ver o Deus invisível, peça que Ele Se revele a você. O Senhor Jesus está vivo e ouve as nossas orações. 

de "Encontreapaz"

Deixe o campo de servidão


Nosso Salvador é maior que todo e qualquer problema e maior que toda dor. Muitos cristãos, nossos irmãos e irmãs em Cristo, “amargam a vida com dura servidão”.

Por causa de doenças, problemas familiares ou financeiros, sua vida é muito trabalhosa. Seja o que for, para esses cristãos sua situação momentânea realmente é como se estivessem “amargando a vida com dura servidão”, como os israelitas na escravidão no Egito.

A esses queridos irmãos e irmãs eu gostaria de dizer o seguinte: o céu chegando à terra também significa que nosso Salvador é maior que todo e qualquer problema e maior que toda dor.

Certamente você sabe disso, mas hoje eu gostaria que você deixasse o campo de servidão e experimentasse a libertação. Obviamente seus problemas existem, mas você pode aniquilar o poder de destruição deles voltando seu olhar firmemente para JESUS.




Decisão pelo Senhor

Não há momento mais precioso para um pai cristão do que quando ele vê seu próprio filho confiar sua vida a Jesus Cristo. A maioria dos cristãos ensina seus filhos sobre Cristo desde os mais tenros dias da vida da criança.

Estes pequeninos crescem sabendo os nomes dos apóstolos e recitando os livros da Bíblia. Sua vida no lar é imersa numa atmosfera onde o nome de Cristo é reverenciado. Não é segredo para estes ternos ouvidos que o desejo de Deus é que creiam em Jesus e sejam batizados em seu nome.

Então, quando uma criança está com idade bastante para decidir? A Bíblia não especifica uma idade em particular na qual se é suficientemente velho para tomar esta decisão (talvez porque a idade da maturidade difere entre as crianças). Entretanto, a Bíblia nos apresenta princípios básicos que sejam úteis na determinação se uma pessoa é ou nos "bastante velha" para decidir e declarar-se pelo Senhor.

O pré-requisito bíblico para o discipulado é a fé. "Sem fé, é impossível agradar a Deus..." (Hebreus 11:6). Por esta razão, Jesus enviou seus apóstolos com a incumbência de pregar o evangelho a todos (Marcos 16:15). Aqueles que cressem eram para ser batizados (Marcos 16:16; Atos 2:38).

Uma fé de segunda mão não é suficiente. Em nenhum lugar no Novo Testamento a relação de uma pessoa com Deus inclui seus pais como mediadores. O jovem indivíduo precisa ter uma conclusão própria.

Além do mais, o jovem precisa ser bastante velho para tomar uma decisão quanto ao pecado. Para tomar a decisão de comprometer-se com Jesus é necessário tomar a decisão de afastar-se do pecado (Atos 3:19).

O arrependimento exige um certo grau de maturidade. Isso também exige, primeiro de tudo, que se seja capaz de discernir o certo do errado. Isso desqualifica aqueles que são demasiado jovens. Isso também exige ser-se suficientemente maduro para tomar suas próprias decisões sobre fazer o que é certo e conter-se para não fazer o que é errado.

Quando uma criança é bastante velha para ser um cristão, ela tem bastante idade para tomar suas próprias decisões sobre o pecado. Ela fala a verdade porque os cristãos são honestos e mentir é pecado. Ela diz não à imoralidade porque é errada, e não simplesmente porque seus pais poderiam descobrir. Ela decide por si mesma fazer o que é certo!

Conheço várias pessoas jovens que têm manifestado o requisito de maturidade para se tornarem discípulos.Elas decidiram pelo Senhor! Asseguremo-las todos nós de que sua decisão e compromisso são tão importantes quanto pensam que são.

_________________________por David Thomley



terça-feira, 23 de setembro de 2014

A PAZ INTERIOR - A paz divina está ao alcance de todo o que crê, pois tem sua fonte em Deus!

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus (Filipenses 4:6-7).

A PAZ INTERIOR

O rei Herodes acabara de dar ordens para matar Tiago simplesmente pelo fato deste ser cristão (Atos 12:1-19). A multidão apreciava esse tipo de espetáculo, e para obter mais popularidade ainda, Herodes decidiu prender o apóstolo Pedro também. Queria fazer da prisão e talvez da morte dele uma festa no dia seguinte.

Enquanto isso, prendeu a Pedro e mandou que dezesseis soldados o vigiassem. Pedro sabia o que o aguardava: tortura e morte. Poderia ficar inquieto e passar sua última noite em angústia. Mas não! Dormiu tranquilamente. Confiava em Deus, que lhe dava paz. Se deveria sofrer o martírio, sabia que o Senhor o sustentaria e lhe daria forças para glorificá-Lo.

Teríamos a mesma paz de espírito se tivéssemos de enfrentar perseguições? A paz divina está ao alcance de todo o que crê, pois tem sua fonte em Deus, o qual sabe perfeitamente o que nos convém e faz com que todas as coisas cooperem para o bem dos que O amam.

Durante esse tempo, os cristãos da cidade oravam incessantemente por ele. E o Senhor enviou Seu anjo para libertar o prisioneiro, abrindo as pesadas portas do cárcere. Entretanto, uma manifestação ainda mais extraordinária do poder de Deus não seria o fato de Pedro poder dormir tranquilamente naquela noite?

Chamada/encontre-a-paz

sábado, 20 de setembro de 2014

Tornam-se filhos de Deus

Receba a Jesus
"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus" (João 1:12).

Esta passagem explica claramente como tornar-se um Filho de Deus. Precisamos receber Jesus através da fé nEle. O que precisamos acreditar sobre Jesus?

Primeiro, precisamos reconhecer que Jesus é o eterno Filho de Deus que se tornou homem. Nascido do poder do Espírito Santo, pela virgem Maria, Jesus não herdou a natureza pecaminosa de Adão. Então, Ele é chamado de segundo Adão (1 Coríntios 15:22). Enquanto que a desobediência de Adão trouxe a maldição do pecado ao mundo, a vida perfeita de Cristo pode cobrir as nossas transgressões. Nossa resposta deve ser de nos arrepender (voltar-nos contra o pecado), confiando em Sua vida perfeita para nos purificar.

Segundo, precisamos ter fé em Jesus como Salvador. O plano de Deus foi de sacrificar o Seu Filho perfeito na cruz para pagar pela punição que merecemos pelo nosso pecado: a morte. A morte de Cristo liberta a todo aquele que O recebe da penalidade e do poder do pecado.

Finalmente, precisamos seguir a Jesus como Senhor. Depois de fazer de Cristo o Vitorioso sobre o pecado e a morte, Deus deu a Ele toda autoridade (Efésios 1:20-23). Jesus guia todos que O recebem; Ele vai julgar a todos que O rejeitam (Atos 10:42).

Porque a graça de Deus nos leva ao arrependimento e fé no Salvador e Senhor, somos nascidos de novo para uma nova vida como filhos de Deus. Apenas aqueles que recebem a Jesus – não apenas um conhecimento intelectual sobre Ele, mas realmente dependendo dEle de coração para a salvação, submetendo-se a Ele como Mestre, e amando a Ele como o tesouro supremo – tornam-se filhos de Deus.



terça-feira, 16 de setembro de 2014

As folhas rasgadas das Bíblias

por Asaph Borba 

Em uma vila no interior do Irã. Toda aquela vila era convertida ao cristianismo e um missionário se interessou em saber como toda aquela vila tinha se convertido no interior do Irã, um lugar tão
inóspito ao cristianismo.

E entrando em contato com os líderes locais, eles informaram que tinham conhecido a Jesus por intermédio de algumas folhas de papel. E aquele líder mostrou ao missionário algumas folhas e pedaços da Bíblia. "Foi através destas folhas que conhecemos a Deus."

E aquele missionário ficou intrigado porque eles tinham pedaços do livro de Salmos, pedaços do livro de Reis, pedaços do evangelho, partes da Bíblia. Então esse missionário ficou sabendo que há muitos anos atrás um carregamento de Bíblias foi confiscado no outro lado do deserto onde essa vila existia.

Os guardas que fizeram o confisco e descobriram as Bíblias, começaram a rasgá-las e as jogaram numa fogueira. Um vento forte soprou sobre aquela fogueira e espalhou as folhas rasgadas das Bíblias por todo aquele deserto e chegou neste lugar, nessa vila. E aquelas pessoas quando viram aqueles pedaços de papel, começaram a ler e lendo aqueles fragmentos da palavra se converteram.

A palavra é o poder de Deus que nos leva a conhecê-lo. Essa palavra que está aí a nossa disposição, nas nossas casas, na nossa mesa de trabalho, no nosso computador. Essa palavra é o poder de Deus revelado ao homem.

Quero incentivá-los a lerem a Bíblia, a meditarem na Bíblia, a chorarem sobre a palavra e conheceremos dia a dia mais de Deus e de seu propósito.

Deus abençõe


domingo, 14 de setembro de 2014

O Senhor Jesus, Ele é o primeiro!

Quem operou e fez isto, chamando as gerações desde o princípio? Eu o Senhor, o primeiro, e com os últimos eu mesmo (Isaías 41:4).

O PRIMEIRO
Quando no Antigo Testamento Deus disse acerca de Si mesmo: "Eu o Senhor, o primeiro" enfatizava assim Sua divindade. Não houve ninguém antes dEle. Ele era desde o princípio. Como Deus eterno, não teve um princípio. No sentido absoluto, Ele é o primeiro. 

Quando o Filho de Deus Se fez homem e veio ao mundo com o nome de Jesus, em muitos aspectos era o primeiro e deveria ser, porque esse humilde homem era ao mesmo tempo o Deus eterno: Deus e homem em uma pessoa. "E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne" (1 Timóteo 3:16). "O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação" (Colossenses 1:15). 

Engendrado pelo Espírito Santo no ventre da virgem Maria, Ele foi o primeiro filho dela. Ao final de Sua missão oficial, entrou em Jerusalém montado em um asno, "sobre o qual ainda não montou homem algum" (Marcos 11:2). 

O que as Escrituras dizem sobre o sepulcro lavrado na pedra onde o corpo do Senhor Jesus foi depositado? "E, havendo-o tirado, envolveu-o num lençol, e pô-lo num sepulcro escavado numa penha, onde ninguém ainda havia sido posto" (Lucas 23:53). Como o primeiro foi colocado naquela tumba, e a deixou como "o primeiro da ressurreição dentre os mortos" (Atos 26:23).

No livro de Apocalipse, por três vezes o Senhor Jesus Se auto-intitula "o primeiro". Ele é a mesma pessoa: o Senhor como o primeiro no Antigo Testamento, e o Senhor Jesus como o primeiro no Novo Testamento.

E em sua vida, o Senhor Jesus também é o primeiro? 

_______de Chamada/encontre-a-paz

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

O Espírito Santo nos guia na verdade!

O próprio Espírito Santo foi o direto inspirador dos escritores que compuseram os diferentes textos da Bíblia. Ele lhes deu a mensagem e os inspirou na sua redação. Assim, é pela Bíblia que Ele nos guia. 

Andando pela verdade bíblica, estaremos sendo guiados sempre por Ele tendo o forte testemunho em nosso espírito de que somos filhos de Deus. Recordemos o que Jesus disse sobre o Espírito Santo: “porque não falará por si mesmo; mas dirá tudo que tiver ouvido e vos anunciará... há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar” (João 16.13,14).

O Espírito Santo sempre age em conexão com a verdade “Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as cousas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus... Assim, também as cousas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente. Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo cousas espirituais com espirituais” (I Coríntios 2.10-13). Essa declaração de Paulo é a descrição bem clara de como o Espírito Santo nos guia na verdade.

___por Erasmo Ungaretti



terça-feira, 9 de setembro de 2014

O Espírito Santo chama os homens através do evangelho

O conceito da afirmação de Jesus explica como Deus traz homens e mulheres a si. Não há nada místico sobre isso. O versículo seguinte no contexto (João 6:45) revela como Deus traz homens a si. "Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim."

Observe as palavras "ensinados" e "todo aquele" (todos trazidos do mesmo modo, sendo ensinados) e "ouvido" e "aprendido" e "vem". Estas não são palavras místicas. Elas são palavras comuns, de todo o dia, que são usadas para descrever como é que as pessoas são trazidas a Cristo.

O que é ensinado, ouvido e aprendido? O meio pelo qual Deus "chama" ou "traz" todos os homens é o evangelho. "... para o que também vos chamou mediante o nosso evangelho, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo" (2 Tessalonicenses 2:14). Não há unção especial, mística do Espírito Santo, mas antes, o Espírito Santo chama os homens através do evangelho; e é o evangelho que é o poder (Romanos 1:16).

Deus traz o povo a si através do ensinamento do evangelho. A pregação do evangelho é o poder de Deus, sua força atrativa, para salvar (1 Coríntios 1:18-21). Portanto, todas as pessoas, quando ouvem o evangelho, a qualquer momento, têm capacidade para responder ao chamado do evangelho de Deus. Elas também têm capacidade para rejeitá-lo (Atos 13:45-48).

Os pecadores são salvos pela graça de Deus quando respondem em fiel obediência ao evangelho que os traz a Deus (Mateus 7:21). Deus está sempre pronto para que os homens se arrependam e obedeçam (Atos 17:30). São aqueles que deste modo fizerem que Deus predestinou para a salvação (1 Tessalonicenses 5:9).

Este é um conceito importante a reconhecer. Deus não predestinou indivíduos para serem salvos ou perdidos, mas antes predestinou o método pelo qual somos salvos. Se obedecemos ao evangelho, somos batizados "em Cristo" (Romanos 6:3-4). Deus predestinou todos aqueles "em Cristo" para sermos abençoados "... com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo" (Efésios 1:3).

Mas cabe a nós obedecer ou não.

------------ por Jon W. Quinn


domingo, 7 de setembro de 2014

O dinheiro não pode fazer tudo

Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá.
Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais (Jó 1:21; 1 Pedro 1:18).


Ouvimos dizer que o dinheiro governa o mundo. Isso é verdade apenas no que se refere à breve duração de nossa existência terrena, e mesmo aqui, o dinheiro não pode fazer tudo. No porvir, ele não tem valor algum. 

Ao viajarmos para países estrangeiros, precisamos converter o dinheiro que temos na moeda do país que iremos entrar, ou teremos problemas. Em geral, esse câmbio é feito na fronteira. Não entanto, na fronteira entre o tempo e a eternidade, não podemos levar nem trocar nenhum centavo; não há bancos nem casa de câmbio. “Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele” (1 Timóteo 6:7).

Portanto, todos iremos atravessar a fronteira entre o tempo e a eternidade de mãos vazias. Nossos pecados serão a única coisa que levaremos conosco, se não buscamos o perdão de Deus no tempo que nos foi concedido neste mundo. 

Teremos de nos apresentar diante de Deus, “o juiz de todos” (Hebreus 12:23). Jesus Cristo certa vez perguntou: “Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?” (Mateus 16:26). Redimir uma alma do poder de Satanás e expiar um só pecado sequer não há dinheiro ou riqueza que sirva. 

A Palavra de Deus nos ensina que Deus aceita como resgate somente o precioso sangue de Cristo. Para quem creu na obra do Senhor Jesus na cruz, esse maravilhoso sangue é o tesouro mais inestimável que possui neste mundo e na eternidade.

----------------
de "Encontreapaz"


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...